O site Dylan Sprouse Brasil está crescendo cada vez mais assim como a carreira do ator Dylan Sprouse, com isso existe uma demanda maior de atualizações e site precisa de ajuda para se manter ainda melhor para os fãs. Esteja ciente de que é um trabalho voluntário, onde a pessoa que se comprometer com o cargo deverá ter responsabilidade.
Leia sobre as vagas e candidate-se:


Newposter: Responsável por postar notícias no site. É necessário ter um bom português e principalmente um bom inglês, uma vez que a maioria das notícias são encontradas em inglês. [FECHADA]
Legender
: Responsável por legendar e/traduzir vídeos para nosso canal no YouTube/Vimeo. Será preciso baixar pelo menos um software para tal trabalho. Conhecimento de editor de vídeos também pode ser necessário. [ABERTA]
Social Media: Responsável por cuidar das nossas redes sociais. Não é necessário alto conhecimento de inglês, apenas português para passar informações certas, e disponibilidade de tempo para manter atualizado. [ABERTA]
Tradutor: Responsável por traduzir notícias, vídeos ou outros conteúdos de língua estrangeira. É necessário inglês no mínimo intermediário e um bom português. [ABERTA]
Gallery Manager: Responsável por atualizar nossa galeria com as últimas imagens dO Dylan, é necessário o conhecimento de Galeria Coppermine. [ABERTA]

Se interessou? Então preencha a ficha abaixo e mande para o nosso email dylansprousebr@gmail.com:

Nome:*
E-mail:*
Rede social:*
Área de interesse:*
Disponibilidade de tempo:*
Nível de inglês:*
Legender: Conhecimento de editores de vídeo, ou software de legenda?
Newsposter: Conhecimento da plataforma do WordPress?
Gallery Manager: Conhecimento da plataforma Coppermine?
Já foi ou é membro da equipe de algum site? Se sim, qual?*
Fale sobre por que gostaria de fazer parte da equipe do Dylan Sprouse Brasil.*

* Campo obrigatório

After We Collided, sequência do filme After, ganhou um novo teaser publicado pela Voltage Pictures.

A primeira adaptação do best-seller que estreou em 11 de abril de 2019, arrecadou mais de 57 milhões de dólares no mercado estrangeiro e 70 milhões de dólares ao redor do mundo. A sequência, After We Collided, já está em pós-produção e tem lançamento previsto para 2020.

Os produtores do filme são Todd, Jennifer Gibgot, Mark Canton, Courtney Solomon, Nicholas Chartier, Brian Pitt e Jonathan Deckter. A direção será de Roger Kumble.

O elenco conta com Josephine Langford, Hero Fiennes Tiffin, Dylan Sprouse, Charlie Weber, Candice King, Karimah Westbrook, Rob Estes, Shane Paul McGhie, Samuel Larsen, Dylan Arnold, Inanna Sarkis e Khadijha Red Thunder.

Confira a sinopse de After We Collided:

Hardin sempre será… Hardin. Mas será que ele é mesmo o cara profundo e atencioso que Tessa se apaixonou perdidamente ou têm sido um completo estranho o tempo todo? Ela gostaria de se afastar, mas não é tão simples assim. Não com as lembranças das noites apaixonadas que eles passaram juntos. Ainda assim, Tessa não tem certeza se consegue suportar mais uma promessa quebrada. Ela está focada em seus estudos e em um estágio interessante na Vance Publishing. Ela também está sendo cantada por Trevor, um colega de trabalho lindo que é exatamente o tipo de rapaz que ela deveria estar. Hardin sabe que cometeu um erro, possivelmente o maior de sua vida. Ele quer acertar o que fez de errado e superar seus demônios. E ele não vai perder Tessa sem lutar por ela. Mas, ele pode mudar? Ele vai mudar por… amor? After We Collided… a vida nunca mais será a mesma.

E aí, quem está ansioso para ver Dylan como Trevor? Nós mal podemos esperar!

Por Vogue (14 de fevereiro de 2020).

No meio da Semana da Moda de Nova York, antes de sair para uma movimentada temporada internacional de outono/inverno 2020, Barbara Palvin (face de Giorgio Armani, L’Oréal e Cartier) se senta para um jantar romântico com seu namorado, o ator Dylan Sprouse, que está para filmar o piloto de uma série. Junte-se a eles em um dos bares mais escondidos de Nova York – Banzarbar, no Lower East Side – logo antes do Dia dos Namorados.

Durante um jantar de três pratos, o casal do Brooklyn (que se conheceu nas redes sociais em 2018) relembra seu primeiro beijo – às 3 da manhã, em uma viagem de trabalho à China, com um burrito – e como Palvin assumiu o comando depois que Sprouse ficou tímido. “Eu tive que assumir o controle, ok?” ela ri. “Porque você não me beijaria e estávamos conversando e mandando mensagens há quatro meses. Foi tipo, você vai me beijar ou o quê?” Sprouse sorri. “O jeito húngaro”, diz ele. “Eu amei.”

O casal de sucesso, que possui mais de 21 milhões de seguidores no Instagram, discute as pressões das mídias sociais e sobre o apoio à carreira um do outro. “Você gosta de trabalhar comigo?” Sprouse pergunta, referenciando precedentes sessões de fotos. “Você me faz sentir muito confortável – isso realmente me ajuda a fazer o melhor trabalho possível”, diz Palvin, 26 anos, que foi descoberta em Budapeste aos 13 anos. “Mas há momentos em que eu quero ser mais séria e você não cala a boca!”, ela ri.

Notoriamente privada, a dupla compartilha suas preocupações sobre ter um relacionamento de destaque nos holofotes – particularmente Sprouse, 27, que atua com o irmão gêmeo, Cole, desde um ano de idade. “Eu estava com medo porque estava solteira por muito tempo antes de começarmos a namorar”, admite Palvin. “Eu tinha esse pensamento em mente: ‘Vamos ter paparazzis o tempo todo? Eu deveria estar preocupado? Eu tenho que me vestir bem de agora em diante?’”. Mas Sprouse tranquiliza-a com carinho: “Sem dúvida, todo mundo que está olhando para mim está pensando: ‘Como esse cara conseguiu pegar alguém como você?’”.

Matéria: Vogue Alemanha | Tradução: DSBR
Por Brian Welk (11 de fevereiro de 2020).

O filme exibido no Independent Film Festival de Boston está para estrear em alguns cinemas, sob demanda e em modelo digital no dia 27 de março. A Vertical Entertainment adquiriu os direitos de distribuição norte-americanos de Banana Split, uma comédia adolescente estrelada por Hannah Marks, Liana Liberato e Dylan Sprouse, anunciou o distribuidor na terça-feira. O UPHE Content Group também adquiriu os direitos internacionais.

Banana Split segue duas adolescentes durante o verão que desenvolvem uma perfeita amizade espiritual entre elas. O único problema é que uma delas está namorando o ex-namorado da outra. Marks escreveu e produziu o filme com Joey Power, e a comédia também é estrelada por Jessica Hecht, Jacob Batalon, Haley Ramm e Addison Riecke.

O filme ganhou o Prêmio Especial do Júri no Festival de Cinema Independente de Boston 2019, o Prêmio do Júri de Melhor Filme de Comédia no Woods Hole Film Festival e vários prêmios no Oceanside International Film Festival 2019, incluindo o de melhor filme.

“Estou honrado em compartilhar o Banana Split com o mundo, graças aos nossos parceiros de distribuição na Vertical e no UPHE Content Group”, disse Kasulke em comunicado. “Depois de anos trabalhando em filmes independentes, sei em primeira mão o quanto é raro ter um filme de estréia visto pelo público no cinema e além. As equipes da American High, LD Entertainment, United Talent Agency Sales e eu não poderíamos estar mais felizes com o fato de Banana Split ter a chance de encontrar seu público no mundo.”

Banana Split foi produzido por Jeremy Garelick, Mickey Liddell, Pete Shilaimon, Will Phelps, Sam Slater e Glen Trotiner. Os produtores executivos são Hannah Marks, Joey Power, Jennifer Monroe, Michael Glassman e Rowan Riley. O filme foi produzido pela LD Entertainment, American High e Burn Later Productions.

Marks é representada pela UTA, Untitled Entertainment, Circle of Confusion e Shelter PR. Sprouse é representado pela UTA, Authentic Talent and Literary Management, e Herring PR. Liberato é representada por Artistas Inovadores, Management 360 e The Lede Company. Hecht é representado por Artistas Inovadores. Batalon é representado pela Paradigm. Ramm é representado por Innovative Artists e Presse Public Relations, e Kasulke é representado pela UTA. O acordo foi negociado por Peter Jarowey e Josh Spector na Vertical e UTA em nome dos cineastas.

E aí, quem está ansioso para ver o Dylan em Banana Split? O DSBR com certeza está!

Matéria: The Wrap | Tradução: DSBR.

Por Morgan Raum (28 de janeiro de 2020).

Dylan Sprouse não é apenas um ator talentoso, ele também é o mais jovem mestre cervejeiro nos Estados Unidos. Em 2018, ele co-fundou a All-Wise Meadery, a primeira fábrica de produção completa de hidromel em Nova York, com um de seus amigos da faculdade. Portanto, faz sentido que, mesmo quando ele não esteja trabalhando, ele ainda incorpore hidromel (um álcool feito de mel) em sua dieta.

Em uma festa de estréia para a segunda temporada do programa de antologia da TBS, Miracle Workers: Dark Ages – estrelado por Daniel Radcliffe e Steve Buscemi – Sprouse revelou à People que sua namorada (a modelo Barbara Palvin) na verdade usa hidromel para cozinhar muitas comidas no Brooklyn, onde dividem um apartamento em Nova York.

“Barbara é uma cozinheira fantástica…e, na maior parte do tempo, eu como o que ela gosta de fazer”, disse o ator de The Suite Life of Zack e Cody, de 27 anos, quando perguntados sobre o que ele gosta de comer em um dia normal. “Ela fez alguns molhos bons ​​de frango…e temperos. Ela é muito esperta.”

Seu amor por hidromel começou na Califórnia entre 16 e 17 anos, antes que ele pudesse consumir álcool. “Eu queria ficar bêbado com meus amigos e descobri que você poderia comprar todos os ingredientes legalmente, então comecei a fabricá-lo”, disse ele quando perguntado de onde vinha seu desejo de fabricar hidromel. “Eu descobri que realmente gosto mais do processo de fabricar do que de beber.”

Ele também disse à People, em uma entrevista em novembro de 2018, que estava interessado na história e na tradição do hidromel, e que o fabricou enquanto morava nos dormitórios da Universidade de Nova York. “Meu assistente de residência era um estudante de medicina muito dedicado que nunca estava em seu quarto – sempre na biblioteca. Então ele nunca teria descoberto. E ele era um cara muito relaxado. Mas eu estava preparando tudo o tempo todo.”

Enquanto estava na festa de estréia de seu novo hidromel, em 22 de janeiro, Sprouse brincou que, embora seus amigos e familiares nem sempre gostassem de hidromel, “eles certamente adoram agora!”. Ele explicou: “As pessoas têm uma perspectiva sobre o que é hidromel, e eu frequentemente tenho que revisar. Até esse evento, curiosamente, é uma perspectiva sobre o hidromel que é meio distorcida, mas isso é divertido para mim. É uma bebida muito antiga, por isso estamos aqui, mas também está sendo levada para a modernidade.”

A Miracle Workers também fez parceria com o chef Wylie Dufresne, da Du’s Donuts, para o evento – resultado da amizade de Sprouse com o chef. Os dois trabalham um ao lado do outro no Brooklyn e, embora Dufresne tenha revelado ao People que nunca havia preparado um banquete medieval antes, ele claramente estava pronto para assumir o projeto.

“Não foi difícil transformar o hidromel em glacê”, disse o chef à People. “Trabalhamos com Dylan e sua equipe tentando coberturas diferentes e tentamos encontrar alguns de suas bebidas que tinham sabores divertidos…eles têm um hidromel de flor de sabugueiro e um de hibisco, ambos que achamos que se prestam muito bem a um glacê de rosquinha.”

O lindo banquete demorou vários dias para ser preparado, e os donuts com cobertura de hidromel foram muito elogiados durante a noite. Você também terá a chance de experimentar os donuts de Dufresne na ativação do programa TBS em Los Angeles no dia 28 de janeiro. Ele criou as guloseimas usando um exclusivo lote de edição limitada chamado “The Meadieval” da cervejaria de Sprouse, e estará distribuindo-as gratuitamente em Westfield Century City, L1 – “O Oásis” – entre as 11 e as 15 horas PT.

Os estabelecimentos Merchants Hospitality e o TBS também estão formando uma parceria para sediar um especial Happy House em toda a cidade de Nova York, para que você possa experimentar o hidromel de lotes limitados, com sete estabelecimentos fazendo coquetéis especiais.

Matéria: People | Tradução: Chris (DSBR).
Por Callum Smith (23 de janeiro de 2020).

Os fãs de Kingdom Hearts 3 estão chocados que Dylan Sprouse, ator de The Suíte Life Of Zack e Cody, é a voz de Yozora em ReMIND.

Kingdom Hearts é um crossover de várias criações da Disney dentro de um único universo criado especificamente para a série. Essa é centralizada no personagem principal Sora, sua procura pelos seus amigos e seus encontros com os personagens da Disney e de Final Fantasy, em seus respectivos mundos.

No título do final secreto de Kingdom Hearts 3, Sora e Riku são encontrados perplexos enquanto acordam na versão do jogo de Shibuya. Riku acha um prédio grande particularmente interessante, e ele passa por ele, enquanto um personagem misterioso é visto observando-o secretamente – esse personagem também é chamado Yozora. Os desenvolvedores confirmaram que Kingdom Hearts 3: ReMind contaria mais uma vez com Yozora, tornando-o oficialmente um novo personagem com um papel aparentemente importante na história do cânone.

Agora, Kingdom Hearts 3 ReMIND finalmente chegou. A atualização 1.07 foi lançada ontem para adicionar Oathkeeper e Oblivion ao jogo e seu companheiro DLC premium o tornou disponível para jogar hoje. Naturalmente, todo mundo parece ter concluído, pois há vídeos em todo o YouTube referentes a todas as cenas e finalizações.

O DM ReMIND para Kingdom Hearts 3 adiciona um modo de foto exclusivo de Data Greeting que provavelmente resultará em muitos memes divertidos e perturbadores, além de adicionar mais brigas de chefes e um episódio secreto. Este episódio secreto inclui uma intensa batalha contra chefes que termina com um final que deixa as pessoas ainda mais confusas sobre o que vem por aí. E sim, deixar os fãs ainda mais confusos sobre Kingdom Hearts é uma façanha.

Um dos aspectos mais chocantes do DLC para os fãs é que o novato Yozora é uma referência flagrante a Final Fantasy Versus XIII e que Dylan Sprouse é creditado como dublador. Você se lembrará da comédia do Disney Channel como aquele programa que todos costumávamos assistir antes e depois da escola, até que estranhamente se mudou de um hotel normal para outro em um navio como a renomeada Suite Life On Deck.

Enquanto Zack Martin, de Suite Life, é seu papel mais reconhecível, Kingdom Hearts 3 ReMIND não é a primeira vez que ele dubla um personagem de videogame, sendo listado como Alith Anar de Total War Hammer II.

Embora não faça parte do seu portfólio do IMDB, Dylan também compartilhou em entrevistas anteriores que sua voz esteve em muitos videogames jogando duendes e fazendo “muitos gritos de morte”. Ele também estudou design de videogame depois de sair do Suite Life On Deck.

Você pode conferir o episódio secreto de Kingdom Hearts 3 ReMIND assistindo o vídeo acima. Obviamente, ele contém grandes spoilers, então só assista se você terminou o DLC ou não se importa em saber as coisas com antecedência. O personagem Yozara aparece com a voz de Dylan Sprouse no minuto 1:20.

Embora não possamos discutir a importância potencial do personagem para o futuro da franquia por não quererermos estragar o final, o que podemos dizer é que os fãs ficam chocados e impressionados com a inclusão de Dylan e a voz irreconhecível. Kingdom Hearts 3 ReMIND está disponível apenas no PlayStation 4 e chegará ao Xbox One em fevereiro.

Matéria: HITC | Tradução: Chris (DSBR).

Por Paul Andrew (11 de dezembro de 2019)

Em junho, novas celebridades seguiram o diretor criativo da Ferragamo, Paul Andrew, até a antiga cidade de Florença, e conseguiram criar uma nova visão do street style.

Salvatore Ferragamo criou peças bonitas, colocando o artesanato e a qualidade em primeiro lugar, e a cara atual da Ferragamo quer fazer parte dessa grande herança. Ele aprecia sinceramente a tradição, mas não é ameaçado por uma quebra da norma – uma mistura de cores não convencionais, bem como uma tendência à sutileza e propriedade. Ferragamo também usaria as estrelas do cinema para incorporar os looks que ele estava criando. Isso pode não parecer novidade agora, mas naquela época era uma abordagem muito nova.

Coletivamente, eu descreveria os homens que reunimos aqui como envolvidos com o mundo, informados e inteligentes. Claramente, eles são geneticamente talentosos e ficam bem em todas as roupas, mas, além disso, são amigáveis, respeitosos e abertos. Individualmente, eis o que eu diria: Dylan Sprouse é talentoso e motivado, e muito divertido de estar por perto – mal posso esperar para experimentar os produtos da sua produtora de hidromel do Brooklyn! Emblemático desse espírito rebelde de Los Angeles, Evan Mock é o “cara legal” contemporâneo. E eu não sei como ele consegue fazer o que faz nesse skate. Tommy Dorfman é tão talentoso, bonito e gentil. Ele também tem um instinto natural para redefinir os códigos de vestuário dos homens tradicionais. Hero Fiennes Tiffin realmente fala com o espírito da marca; ele é um dos meus jovens atores favoritos atualmente e também se tornou um amigo íntimo. Lamar Johnson apareceu em filmes tão significativos – talento em abundância e uma ótima aparência. Quando Jacob Bixenman entra em uma sala, ele é uma presença que não será ignorada. E Jack Mulhern é talentoso, bonito, estiloso e humilde. Todos nós poderíamos tirar uma página do livro dele.

Eu sou fascinado pela interseção da identidade de gênero. Não estou falando de androginia [em si], mas de permissão para expandir os limites do modo de se vestir tradicional, especialmente em termos de silhueta e cor. Eu queria anunciar ao mundo quem sou como designer, dentro dos fundamentos muito generosos do espírito de design da Ferragamo.

Trazer essa visão para Florença foi um sonho tornado realidade – especialmente para alguém mostrando uma coleção inicial, como eu. A família Ferragamo tem uma ligação incrível com a cidade de Florença e, recentemente, restaurou a Fonte de Netuno, que têm atraído visitantes de todo o mundo para a Piazza Signoria por décadas. Como significante desse vínculo único, o prefeito da cidade nos permitiu organizar esse desfile de moda masculina bem ao lado de Netuno e a grande e icônica estátua de David. Como resultado, o desfile trouxe um sentimento de outro mundo por mim e, esperançosamente, para os espectadores também. É o cenário mais chique e elevado do mundo. Estou muito honrado por ter meus desenhos em exibição lá e espero que todos os que testemunharam tenham se emocionado com tudo. Eu certamente me emocionei.

Veja as imagens em nossa galeria:













Matéria: VMAN | Tradução: Chris (DSBR).
Por Madeline Berg and Dawn Chmielewski (3 de dezembro de 2019).

A Forbes divulgou hoje a nona lista anual 30 Abaixo de 30, apresentando a mais recente classe de 600 jovens empreendedores que estão redefinindo o significado de inovar e liderar. Dylan Sprouse aparece na sessão Hollywood & Entertainment.

A lista #ForbesUnder30 de 2020 inclui 30 homenageados para cada uma das 20 categorias. Cada homenageado com menos de 30 anos de idade recebeu uma avaliação aprofundada ao longo do processo de verificação da Forbes, alavancando a ampla comunidade da organização de repórteres qualificados e juízes de confiança. Desde o início da lista, há nove anos, a Forbes expandiu a rede de “30 Abaixo de 30” para incluir mais de 5.000 indivíduos em todo o mundo. Ser nomeado à #ForbesUnder30 significa a incorporação do espírito relovucionário, inovador e empreendedor que a organização representa.

Veja a entrevista completa legendada de Dylan Sprouse para a Forbes:

Dylan e seu irmão gêmeo Cole começaram a atuar aos oito meses de idade, antes dos papéis de protagonistas em The Suite Life of Zack and Cody e na sequência The Suite Life on Deck. Depois de fazer vários filmes independentes e curta-metragens, Sprouse está para voltar às telonas em After We Collided. Quando ele não está atuando, ele supervisiona a All-Wise Meadery no Brooklyn, onde ele fabrica hidromel. O negócio, que está apenas no seu segundo ano, já é lucrativo, com receita de mais de US $ 1 milhão para 2019.

Confira a lista COMPLETA da #ForbesUnder30.

Matéria: Forbes | Tradução: Chris (DSBR).
Por Cecilie Harris (27 de setembro de 2019)

Dylan.
Ator. Cervejeiro. Entusiasta de história. Aquele garoto que você viu muito na TV. O Criador. Bico doce. O rosto desta edição e a peça que faltava no meu quebra-cabeça. Dylan Sprouse está atualmente 70% feliz. Eu estou 70% e 30%. Eu expiro enquanto falamos – há honestidade, uma visão clara de si e a pitada de humor perfeita.

Dylan foi lançado na indústria da TV aos oito meses de idade, juntamente com seu irmão gêmeo, Cole. Quando você cresceu em um ambiente, como você descobre quem você é fora disso? Como você encontra “glede”? Como você decide o que você quer que seu legado seja quando você já teve um impacto global antes mesmo de chegar à adolescência? Como eu acabei no meio de uma aula de história e por que ele é um viking melhor do que eu?
Essas são perguntas para as quais encontro respostas durante nosso bate-papo à beira de uma piscina em Los Angeles.

Depois de escolherem sair do centro das atenções para obter diplomas universitários, os irmãos Sprouse retornaram às nossas telas. Enquanto seu irmão liderava a fama de Riverdale, Dylan fez escolhas diferentes. Ele abriu um caminho diferente para si mesmo. Dylan montou seu próprio negócio – uma produtora de hidromel, e optou por entrar no mundo do cinema. Um espaço onde ele poderia desafiar-se artisticamente e escolher papéis que realmente satisfizessem sua fome criativa – muitas vezes abraçando filmes independentes e o formato de curta-metragem como playground.

Seu caminho serve como um lembrete de que a felicidade nem sempre é encontrada nos espaços óbvios e pode nos ajudar a nos preocupar menos com o que pensamos que os outros esperam de nós e, em vez disso, seguir o caminho que nos traz alegria. Escolher a felicidade exige força, e é por isso que acho que é importante contar a história de Dylan. O coração sempre sabe. Ele te faz sentir. Ouça o que essa voz interior diz; é ali que reside a felicidade.

Eu queria falar com você sobre “glede”, que significa alegria ou felicidade.
Faz sentido – soa como a palavra feliz (glad). Eu posso ser muito melancólico. Eu experimento altos ou baixos muito fortes, e a felicidade, para mim, tem tudo a ver com as pequenas coisas, os lembretes constantes e simplesmente estar no momento. Eu tendo a ser bastante direto, ao ponto de ser quase obsessivo. Parte da minha jornada, chegando à idade adulta e à mim mesmo, foi sobre encontrar uma maneira de estar enraizado no ‘agora’ e ter esperança. Acreditar que as coisas darão certo em vez de fazer planos de fuga, caso contrário. Isso foi um grande contribuinte para a minha felicidade atual. Honestamente, tenho um monte de ‘glede’ agora.

As pessoas podem sentir que já conhecem a sua história, já que você está no centro das atenções desde sempre. Quem você diria que Dylan é?
Eu não vi o Dylan de agora ou realmente aprendi como realmente era até os 23 anos de idade. Escondi tudo o que pensei que precisava esconder e refinei as coisas que realmente gostava em mim. Havia muito o que aprender e descobri com o que realmente me importava. Cole e eu tivemos uma educação um pouco mais difícil do que as pessoas sabem. Estávamos lidando com isso simultaneamente, encontrando nosso lugar no mundo e na indústria e, posteriormente, aprendendo quem éramos separados e juntos, enquanto nos encontrávamos individualmente. Agora, eu realmente me apeguei às coisas que sei que me trazem muita felicidade, seja a indústria cervejeira – que eu transformei em um negócio para mim – ou a expressão de interpretar ou de entreter, essas são coisas que são muito próximas do meu coração. Mesmo em pequena escala, esteja ou não trabalhando na indústria ou entretendo um grupo de amigos – isso é o que é importante para mim agora.

Você voltou a atuar e está fazendo algumas escolhas legais. Um pouco mais ousado, um pouco mais independente. Dismissed foi um papel bastante sombrio. O que o levou a essas decisões?
As razões por trás das minhas escolhas foram duas coisas predominantemente. Voltei a atuar um pouco mais tarde do que Cole. Em termos do meu próprio estado mental, eu queria ter certeza de abrir meu negócio de hidromel para ter uma situação de vida mais estável antes de voltar a atuar e me tornar mais seletivo nas escolhas de papéis. Eu sabia que não queria necessariamente voltar a atuar na televisão. A atuação na televisão é muito diferente da atuação no cinema. Programas de televisão são quase o equivalente a um trabalho de escritório. Você trabalha 9-5 dia-sim dia-não, e eu sabia que não queria fazer isso. Eu queria diversificar meu portfólio de atuação, realmente lubrificar essas rodas novamente, então eu disse clinicamente “não” à televisão. Eu fiz testes para séries apenas para entrar em uma sala e conversar com pessoas e socializar com agentes de elenco – o que é necessário neste negócio – mesmo sabendo que não iria assumir o papel. Esses papéis obscuros e independentes, podem não ter um grande pagamento ou serem vistos por um grande grupo de pessoas, mas acho que cada um que assumi é selecionado à mão de uma maneira que realmente é minha zona de conforto e ao mesmo tempo são divertidos e desafiadores.

Você é um psicopata muito convincente.
Sim, haha! É que eu tive muitas aulas com estudantes de design de videogame que eram um pouco psicopatas. Eu realmente coloquei minha experiência em uso.

Percorrendo seus créditos de filmes e TV, você era uma criança ocupada! Como você se sente sobre esse período agora?
Sim! Eu me sinto muito bem com isso. Sou grato por ter estado ocupado quando era mais jovem, porque acho que quando você está nessa idade, você realmente não vê isso como trabalho. Do mesmo modo que as crianças vão para a escola e sabem que “isso é algo que tenho que fazer”. Foi assim por muito tempo. Então, quando meu irmão e eu nos tornamos adultos, pensamos “talvez não precisemos fazer isso”, então decidimos sair para a faculdade e desaparecer. Isso foi uma resposta a “quem sou eu fora da indústria?”. Crescemos inteiramente dentro da indústria desde os oito meses de idade.

Como foi entrar na normalidade?
Nós dois estudamos na escola pública a maior parte de nossas vidas, então não parecia super diferente no começo. As pessoas costumam presumir que, quando você se afasta da indústria, você para de ganhar experiência, mas isso é totalmente falso. Para ser um bom ator, você precisa simpatizar com outros e ter experiências, porque é isso que as pessoas vêem. Se alguém é novo no mundo e não consegue simpatizar com as pessoas e parece que não sabe sobre nada fora da própria bolha, as pessoas conseguem ver isso na tela com muita clareza. Então, sim, eu deixei a faculdade por quatro anos e parei de atuar por mais tempo, talvez seis anos. Mas durante esse tempo, eu ainda estava ganhando experiência de atuação e interpretação. Digamos que você se sente em um bar e observe alguém falando de uma certa maneira ou mastigando de uma certa maneira: você pode pegar isso, internalizar e aplicar a um personagem.

Houve uma grande mudança recentemente. Com as mídias sociais mudando o cenário, estamos vendo um novo tipo de celebridade. Você cresceu com a fama tradicional, o que diria para as pessoas que estão experimentando fama neste novo mundo?
Conheço muitos influenciadores e personalidades do Youtube, e notei com uma minoria deles que há um grupo que anseia por uma trajetória de carreira mais tradicional fora das plataformas de mídia social, e minha pergunta sempre é “por que?”. Acho que as personalidades do Youtube e do Instagram são algumas das pessoas mais trabalhadoras no cenário, verdade seja dita; e reinterpretaram completamente o que as agências presumem ser a carga de trabalho que os atores devem assumir. Aqui está o ideal americano de homens e mulheres self-made (autônomas) que criam conteúdo dia após dia porque eles adoram e querem continuar fazendo isso. Talvez façam pela fama, o que não acho que seja o motivo certo, mas eles reinterpretaram o que as agências pensam que os atores deveriam estar fazendo no espaço tradicional. Eles acham que atuar é um trabalho de 24 horas por dia. Muitas dessas novas personalidades transportam câmeras com eles 24/7, e olham para o mundo permanentemente através das lentes, porque tudo pode virar conteúdo. Talvez isso esteja moldando a evolução do que é a indústria do entretenimento. Acho que os atores tradicionais têm muito mais a aprender com as personalidades do Youtube, Instagram e blogueiros em geral do que vice-versa.

Quando eu falei com o Cole, ele me disse honestamente que não gostava do tipo de pessoa que a fama infantil o tornou. Qual foi sua experiência?
Eu não acho que tivemos experiências super semelhantes, sinceramente. Eu acho que Cole sempre internalizou as coisas de maneira diferente do que eu. Eu vou muito mais com o vento – um marinheiro, e não levo as coisas tão a sério quanto Cole. Em muitas maneiras, ele é mais calculado do que eu e toma medidas que são mais bem pensadas, mas que também podem afetá-lo mais. Ele fez um trabalho maravilhoso ao ser objetivo o suficiente para perceber as coisas que precisa mudar, enquanto eu não sentia a necessidade de fazer isso, pois eu sempre via minhas mudanças como biológicas. Eu nunca senti que a fama me afetasse tanto.

É interessante que você tenha tido uma experiência completamente diferente.
Mas eu também sou bico doce, consigo reverter as situações muito facilmente. Eu sou um falante muito habilidoso, posso sair de situações que podem ser tensas, estranhas ou desagradáveis ​​e deixá-las para atrás facilmente.

Então você é muito bom em deixar as coisas para trás?
Sim, e acho que é onde Cole e eu nos equilibramos.

Acho gêmeos muito fascinantes. Um pequeno mistério do mundo.
Gêmeos idênticos são misteriosos, e não estou falando mal de gêmeos fraternos – me desculpem gêmeos fraternos. Gêmeos idênticos são perfeitamente criados para assustar os outros.

Vocês cresceram fazendo todas essas coisas juntos e agora seus caminhos foram em direções um pouco diferentes. Como isso afetou o vínculo de vocês?
Eu acho que foi uma coisa positiva. Precisávamos estar juntos durante os períodos de formação em que nossas mentes estavam crescendo, precisávamos um do outro como apoio familiar. Dito isto, ainda somos muito próximos. Nos falamos todos os dias. Vou vê-lo logo depois disso. Ele grava principalmente em Vancouver agora, mas quando ele está por perto, nos vemos o máximo possível. Para gêmeos, sempre há o período angustiante em que você não quer ser como o outro, onde você quer se separar; mas não acho que tenhamos experimentado tanto isso. Eu já vi isso acontecer com outros gêmeos idênticos.

Uma das coisas que notei, tendo falado com vocês dois, é que vocês parecem ter um respeito incrível um pelo outro.
Sim, temos imenso respeito um pelo outro. E eu acho que isso foi merecido, porque exigimos respeito um do outro e de nossas escolhas individuais por muito tempo. Sempre fomos muito rápidos em julgar um ao outro, acho que porque também eu sempre o coloquei em um padrão muito alto, e vice-versa. Era uma forma de competitividade que não era estritamente competitiva, mas estava nos levantando e ajudando, de certa forma.

Eu quero começar a falar sobre emoções, pois gosto de falar sobre sentimentos com homens.
Uau, assustador, haha.

Como é ser Dylan?
Eu tenho tentado estar muito mais em contato com meus sentimentos, especialmente nos últimos dois anos. Percebi que durante toda a minha vida tentei parecer mais durão do que realmente era. Houve um período, dos 15 aos 22 anos, em que acho que não chorei nenhuma vez.

Isso é muito tempo!
É um tempo estranhamente longo! Algumas pessoas ficam tipo “legal, isso é radical!”. Mas na verdade não é, é muito prejudicial e estranho.

Você tem tentado chorar mais?
Eu tenho! Eu tenho tentado ser muito mais honesto, aberto e em contato com meus sentimentos, especialmente porque acho que é uma responsabilidade que devo à outras pessoas também. Percebi que, reprimindo meus sentimentos, eu era desrespeitoso com outras pessoas ao meu redor que expunham seus sentimentos. Então, no momento, meus sentimentos são muito felizes, eu diria que estou cerca de 70% feliz.

Eu amo que você está transformando isso em matemática…
Sim, haha, em alguns momentos darei porcentagens…e estou com cerca de 70%. Mas, novamente, sinto melancolia e ansiedade sobre o futuro, porque gosto de estar dez passos à frente e ter um plano de dez anos do que vou fazer e como vou chegar lá. Quando não sigo as fases que estabeleci para mim mesmo, tomo muito a sério. Mas isso faz parte da jornada. Mesmo nos relacionamentos e na vida profissional, o jeito que eu gosto de ver é: quem eu quero ser daqui a cinco anos? É assim que eu quero começar a agir hoje. Portanto, os sentimentos têm sido uma grande parte disso e a empatia também.

Quando foi a última vez que você chorou?
Chorei durante Os Vingadores, não vou falar o porquê, mas chorei. E muito.

Sinto que houve uma mudança na sociedade em que os homens podem ser mais vulneráveis ​​e honestos com suas emoções. A masculinidade não é mais preta e branca. Quais são seus pontos de vista sobre como isso está mudando?
Se fôssemos olhar para a história e estudá-la, eu diria que os padrões da masculinidade – e eu amo a história, é um dos meus assuntos favoritos e me considero um entusiasta de história – mudam a cada cem anos. Mudam sempre, e as coisas que tradicionalmente vemos como masculinas agora não eram assim há cem anos. Contanto que você esteja sendo fiel a si mesmo, é isso que importa. Eu também acho que nós, mulheres e homens, temos impulsos biológicos que desejamos explicar como sociais, mas que são apenas biológicos.

Oh, coisas absolutamente tribais. Muito está ligado aos tempos antigos.
Eu acho que há um desejo dos homens de serem ferozes às vezes. Sempre houve um discurso assim entre as dinâmicas biológica e social. Digamos que os noruegueses antigos, seus trajes ou a maneira como se arrumavam poderiam ser vistos como bastante femininos. Há uma passagem que diz que eles penteavam seus cabelos todos os dias, e eram considerados os povos antigos mais limpos, além de se vestirem com roupas coloridas muito brilhantes – vestes e vestidos esvoaçantes. Agora isso podia ser visto como muito feminino, apesar de também serem guerreiros ferozes, tanto os homens, como as mulheres. Acho que merece uma colocação temporal, e odeio ouvir que “os homens são assim e as mulheres são assim”. A verdade é que não, são apenas homens e mulheres que você viu no recente escopo da história. Eu escolho ser a versão em que simplesmente me sinto eu mesmo.

Isso me leva à outro ponto importante, que é a saúde mental. Qual foi um dos seus maiores desafios e como você superou isso?
Eu posso ser muito indulgente em tudo e posso me entregar pouco ou me entregar demais às coisas que preciso. A rigidez e a estrutura me ajudaram a manter uma saúde mental mais positiva. Estar com minha namorada – ela é muito otimista em relação a certas coisas e isso me ajudou a ficar mais otimista. Somos criaturas sociais, e voltando à questão dos sentimentos, se eu tiver alguma dúvida, tento conversar com pelo menos dois amigos íntimos sobre isso. Isso imediatamente me deixa mais tranquilo. Além disso, se estou com ansiedade, paro e tento respirar. Penso então se estou com fome, se não ando dormindo bem ou se estou de ressaca. Isso realmente me enraíza no agora e eu posso pensar “ok, talvez os sintomas tenham sido causados ​​por algo que você não está olhando imediatamente, em vez dos seus pensamentos ditando todas as desgraças que o futuro pode trazer”.

Como você definiria felicidade?
A felicidade pode ser tão simples quanto não se preocupar. Apenas não pense demais nas coisas e se permita ser um pouco impulsivo com o que faz você feliz. Eu sempre tento não causar problemas para outras pessoas. Se você achar que está feliz fazendo alguma coisa, surfe essa onda o máximo que puder e tente viver nela temporariamente. Eu me sinto muito feliz agora. Acabei de fazer uma filmagem de seis meses na China, onde tive uma estrutura super rígida. Acordava às 6 da manhã todas as manhãs para fazer três horas de artes marciais e treinamento de idiomas. Agora que voltei à normalidade (apesar da rigidez me deixar feliz), se eu quiser comer um biscoito, eu vou e como. Todas essas coisas vêm em ondas.

Onde e quando você se sente mais satisfeito e em paz?
Sinto-me mais contente e em paz em dois lugares: quando estou trabalhando e quando estou em casa. Sempre fui viciado em trabalho ao longo da minha vida e, na verdade, acho que estou em paz ao trabalhar. Também estar em casa, descansando no sofá, assistindo animê com Barbara, relaxando com o meu cachorro e jogando videogame – é o verdadeiro lazer.

Como você visualizaria o amor?
Eu acho que é um barulho de coração muito alto. É como ser amarrado em um estilingue, onde você está balançando para frente e para trás. Essas são suas emoções – como se você estivesse em uma máquina de pinball. E você está em todo lugar, desesperadamente apaixonado, e encontra beleza em muitas coisas. Você também está pensando: “Oh meu Deus, se eu fizer algo errado, isso vai me destruir”. Acho que é assim quando você se apaixona, e então o estilingue pula para trás e para frente até começar a se estabelecer em um lugar confortável no meio.

Vamos falar sobre seus próximos projetos. Turandot é um filme de ação, fantasia e romance. Quero dizer, o que há para não gostar?! Eu gosto de todas essas coisas.
Não é?! Eu também!

Estou imaginando você em um cavalo com uma espada, seu cabelo soprando no vento…
Foi exatamente o que aconteceu no set.

Incrível, conte-me mais!
É muito emocionante. É baseado em uma ópera de Puccini. Eu não canto nele, felizmente, haha. Mas é um filme de fantasia e romance que acontece durante o reinado de Genghis Khan. Eu interpreto um príncipe e meu reino é destruído por Genghis Khan.

O que? Como ele ousa?!
Como ele ousa!? Mas eu fujo e sou criado na da Mongólia. É um filme muito legal que marcou todas as coisas que meu eu mais jovem queria fazer em um filme: andar a cavalo, lutar com espadas e batalhas épicas.

Você tem batalhas épicas com espadas?
Eu tenho, eu tenho! Tenho batalhas épicas com espadas e também falo mandarim no filme. Não falo uma única palavra em inglês, o que foi incrivelmente difícil.

De uma perspectiva profissional, parece que foi um bom desafio.
Foi bem cansativo também, haha. No final do filme, eu tinha perdido quinze quilos. Foi o mais em forma que já estive na minha vida toda. O filme está atualmente em pós-produção e será lançado primeiro na China e depois nos EUA. O engraçado é que é em mandarim, mas eles querem que eu duble minha própria voz em inglês, o que eu acho incrível e exatamente como os filmes antigos de Kung Fu que eu amo.

Eu não ia falar sobre a sua namorada Barbara, porque eu não costumo falar sobre relacionamentos pessoais, mas…
É, eu menciono muito ela.

Sim, também vi o nome dela nos créditos de Tyger, Tyger.
Sim! Para explicar um pouco: Tyger, Tyger foi um roteiro de um filme independente de orçamento muito baixo que caiu na minha mesa. Foi escrito maravilhosamente bem e também de uma maneira visual tão bonita; eu pensei que era tão legal. Filmamos na praia de Bombaim, na Califórnia, que fica no meio das áreas salgadas e marítimas na fronteira da Califórnia e do México – é tão espetacular. Desolada, sal e mar, a praia de Bombaim é meio difícil de se estar, e eu liguei para Barbara dizendo a ela que estava ficando louco lá. As pessoas o chamam de “vórtice mágico” devido à sua paisagem temperamental e bizarra. Depois de alguns dias, este Cadillac se aproxima e Barbara sai dele. Eu pensei que ela estava na Hungria, e minha mente estava explodindo, pois ela veio me surpreender no set e ficou comigo por uma semana, o que foi muito legal. Durante uma das cenas, eu não quero dar spoiler, mas Barbara estava no set e ela interpreta um pequeno personagem, o que foi bem divertido. Qualquer coisa que ela queira fazer, eu a apoiarei e qualquer coisa que eu queira fazer, ela me apoiará. Então isso foi incrível.

Você também está no curta-metragem Daddy, onde interpreta um acompanhante masculino.
Sim, é um curta-metragem muito bonito, e estou muito empolgado com isso. Vai fazer o circuito dos festivais, então não sei onde vai dar; mas espero que as pessoas consigam vê-lo.

Você fez alguns curtas. Eu realmente gosto de curtas-metragens como formato e acho que é uma maneira emocionante de contar histórias.
Eu concordo totalmente, e acho que é uma paisagem que, para mim, se alinha ao que eu queria fazer voltando ao jogo novamente, que era tentar vários personagens e estilos diferentes. O formato de curta metragem realmente oferece essa idéia. Se estou filmando dois ou três dias para um curta-metragem e interpretando um personagem completamente diferente do que estou acostumado, é incrível tirar isso da lista. Também estou conversando sobre dois filmes diferentes que provavelmente gravarei entre agora e o lançamento desta edição.

Outra coisa que me impressiona é o seu lado comercial. Você tem uma produtora de hidromel e está montando um bar. Isso é empolgante.
Sim, é muito emocionante para mim também, pois me faz utilizar um conjunto de músculos que normalmente não uso. Para mim, esta é uma exploração de me tornar mais adulto, recuperando as rédeas da minha vida financeira, de negócios e de trabalho, combinando as coisas que adoro fazer. Eu fabrico hidromel desde os 16 anos.

Parece que você não tinha idade suficiente para beber, Dylan…
Sim, shhh, nos Estados Unidos.

Então, apenas preparando ou servindo outras pessoas, talvez?
Servia outras pessoas também, predominantemente pessoas já com mais de 21 anos. Ganhei muita experiência fazendo isso e quis abrir um negócio.

Por que hidromel?
Muitas razões diferentes. Falando da Noruega, sinto que tem uma história lá.

Eu sinto que soa um pouco como mjod…?
É mjod, é exatamente o que é. (mjod é o nome antigo do hidromel norueguês)

Você é um fã da Noruega, estou muito feliz com esse fato.
Sim eu sou. Uma curiosidade: meu irmão e eu somos dinamarqueses-alemães. E sim, eles têm mjod na Noruega, mas também na Dinamarca e na Alemanha – em muitos lugares. É o álcool mais antigo do mundo. O Egito antigo foi o local onde eles o descobriram. Eu o fabriquei por duas razões: predominantemente porque sou fã da história e estava interessado em experimentá-lo pela perspectiva da história da família, e porque é realmente o álcool mais fácil para começar a fabricar em casa, pois exige pouco processo. Você não precisa ferver os ingredientes, se não quiser, não precisa misturar nada – você meio que coloca os ingredientes lá e os deixa sentar. Morávamos perto de um apiário no sul da Califórnia naquela época, então pegava todo o mel, jogava em um lote e ficava bêbado com meus amigos quando éramos muito jovens. Muito jovens, porque me deixava enjoado. Mas continuei, porque adorei o processo de fazê-lo. Eu não percebi que gostava de ciência tanto quanto eu realmente gosto, por isso escolhi hidromel…por todas essas razões. Vi também que a coisa que eu fabricava por coincidência era o álcool com mais crescimento de uma perspectiva comercial. Assim, o hidromel, mesmo que não seja enorme na Noruega, está se tornando um grande movimento nos EUA.

Também deveria estar crescendo na Noruega, como parte da nossa história!
Deveria. Às vezes é assim que funciona. Descendentes de outros lugares encontram interesse em algo que saiu do radar na Europa. Então eu tenho feito isso. Agora, temos quatro lotes produzidos na All-Wise Meadery, que é a instalação de produção, e abriremos um bar ainda este ano. É um bar predominante para o hidromel, e estaremos servindo nossas coisas direto da máquina (como uma torneira), além de diferentes marcas de hidromel de todo os Estados Unidos. Portanto, esse meu lado de negócios foi desenvolvido recentemente e está se tornando cada vez mais importante. Posso dizer “ah, sou um homem de negócios”, mas a verdade é que sou mais um criador. Meu maior desejo é ser um mestre cervejeiro, que é o meu título oficial, que inclui criar as receitas, servir o menu, criar uma experiência divertida, beber, conversar e educar as pessoas sobre o que é. Eu tenho um grupo de pessoas que são muito melhores no setor comercial do que eu, e dou a elas espaço para lidar com isso. Conheço minhas forças e minhas fraquezas.

Vamos falar sobre legado. Você já deixou um legado durante a infância. Então, qual é a importância de deixar mais um legado nesse estágio da vida?
Eu acho que houve um artigo que li uma vez em algum lugar por um historiador antigo que disse algo sobre o legado ser a maldição de um homem, o que não é verdade. Mas acho que a parte que pode ser verdadeira é que a obsessão pelo legado e o que você deixa para trás é uma maldição. Acho que todo mundo quer deixar um impacto em sua sociedade, arredores e em seus filhos, mas pode ser uma maldição se preocupar demais com isso. Eu não acho que estou livre disso – eu gostaria de ter algo legal como legado. O melhor que você pode fazer é apoiar o que se empenhar ao que gosta de fazer, mas também apoiar as pessoas com as quais você se relaciona. Eu também acho que deixar coisas boas e bons pensamentos acabarão por falar por si. Também suas esquisitices – se você é esquisito com alguma coisa, continue fazendo isso. Eu fiz isso a vida toda e acabei bem. Então nutra sua estranheza.

Às vezes acabamos colocando muita pressão sobre nós mesmos com o que queremos alcançar ou estar presente no momento é o bastante?
Eu acho que você deve pressionar um pouco a si mesmo para deixar um bom legado. Eu acho que você deve ao seu futuro olhar para trás e dizer “eu fiz tudo que pude”. Eu sei que Dylan, de 15 anos, está me parabenizando agora. Ele está empolgado. Espero que quando eu tiver 40 anos e olhar para o Dylan de 27, eu também o parabenize. E é apenas uma longa fila de cumprimentos até a morte, haha. Mas acho que você precisa ser rigoroso consigo mesmo, esforçando-se o máximo que puder – precisa ficar muito cansado. Isso é algo que tanto Cole quanto eu temos em comum. Se você olhar nossas fotos antigas, sempre parecemos exaustos. Tínhamos bolsas escuras sob os olhos e olhares exaustos todos os dias. A verdade é que prefiro parecer exausto do que descansado, porque pelo menos com exaustão sei que estou fazendo tudo o que posso. Caso contrário, eu me sentiria culpado de ficar sentado o dia todo.

Qual é a sua espectativa para o Dylan de 40 anos?
Ter um exército de robôs, haha…e depois a dominação do mundo. Não, eu gostaria de ter uma família. Eu gostaria de possuir terras. Parece engraçado, mas eu quero possuir um bisão americano, eu amo esse animal. Então eu quero ter terra em algum lugar que eu possa ter um ou dois bisões americanos. Eu quero ter filhos, eu quero ter uma casa muito legal que eu tenha ajudado no design. Não estou dizendo que é um castelo, mas parece um pouco com um…haha. E bisões americanos em todos os lugares.

Lembre-me de sempre trazer à tona o Dylan sonhador, a quantidade de bisões americanos crescia quanto mais você falava sobre isso…
Isso é realmente horrível, haha. Eu quero olhar para trás e continuar trabalhando, e eu adoraria ter um impacto no hidromel. Eu quero que o hidromel (mead) esteja em um lugar onde seja muito mais conhecido pelas pessoas e as pessoas não pensem que estou dizendo “carne” (meat) o tempo todo.

Algum pensamento final sobre seu estado de espírito agora?
Tem sido interessante fazer muitas audições novamente. Finalmente estou em um lugar onde posso dizer “é por isso que sou apaixonado”. Por um longo tempo, até um ano atrás, eu deixava as pessoas me convencerem de que não podia fazer certas coisas e deixei que elas afetassem minha opinião. Recentemente, tomei algumas decisões importantes de negócios e, cerca de um ano atrás, eu tinha dito “foda-se” à todas essas pessoas – foi bem difícil. Retomei o controle sobre as coisas que quero fazer. Não foi um esforço para me sentir mais no controle ou mais desejado, mas sentir uma conexão mais próxima com aqueles com quem eu trabalho – tudo o que eu imaginava há anos como algo que poderia ser, encontrei agora, e isso me deixou tão feliz. Tenho muito mais tempo para me concentrar nas coisas em que realmente devo me concentrar, e todos estão se apoiando e levantando um ao outro. É por isso que sou apaixonado.











Confira o photoshoot completo de Dylan para a edição 15 da Boys by Girls em nossa GALERIA.

Matéria: Boys by Girls | Tradução: Chris (Dylan Sprouse Brasil).

Você sabia que o hidromel é o álcool mais antigo conhecido pelo homem? Dylan Sprouse começou a experimentar o antigo vinho de mel desde cedo, mas não foi até ele começar a produzir no dormitório da NYU que decidiu começar sua própria produtora. Agora ele e o co-fundador Matt Kwon são proprietários da All-Wise Meadery no Brooklyn, em Nova York, e estão tentando convencer o mundo de que hidromel é a mais antiga e a melhor coisa!

Veja o video legendado da entrevista de Dylan Sprouse e Matt Kwon para a ABC7NY:

Por Elena López Ávila (5 de outubro de 2019)

Desde a entrada da suíte do hotel The Peninsula, em Paris, onde nos encontramos, os risos de ambos já são ouvidos. Especialmente as dela, que começou a rir de cada uma das piadas que Dylan fala em seu ouvido. Tomamos café com o casal mais legal do mundo da moda.

Não é incomum ouvir sobre eles como o casal mais fofo do momento. E eu atesto, eles são. Barbara e Dylan dividem um apartamento no Brooklyn e agora também fazem uma campanha para The Kooples. Eles são o casal perfeito, daqueles que trocam segredos em seus ouvidos e piadas particulares que ninguém mais entende. Sua cumplicidade passa pela tela.

The Kooples tem um tato especial para assinar seus embaixadores. Eles quebraram as redes (literalmente) quando contratou Emily Ratajkowski como rosto da marca. Além disso, ela criou sua própria bolsa. Depois foi a vez de mulheres poderosas como Irina Shayk e Stella Maxwell. A marca francesa deixou claro que, entre eles, Barbara e Dylan eram seu novo alvo.

Tomamos café com eles enquanto eles conversam conosco sobre a ilusão que os fez trabalhar para a empresa como casal e como foi especial para Barbara criar sua primeira bolsa, um modelo feito em dois tamanhos. Ela as lançou em várias cores e queria que o modelo fosse, além de bonito, prático. “O mais importante para mim foi criar uma bolsa que eu pudesse carregar diariamente”, confessa.

Depois de um café e muitas risadas (para entender, você precisa assistir ao vídeo), eles nem ficam sérios quando falam sobre seus planos juntos. “Nos vejo morando em uma fazenda com muitos animais”, eles declararam, como se já tivessem discutido isso uma dúzia de vezes. Por enquanto, o futuro deles é continuar se divertindo e curtindo cada segundo juntos. Não podemos apoiar mais.

Assista o video legendado:

Matéria: Telva | Tradução: Chris


Status do site

Nome: Dylan Sprouse Brasil
Online desde: 13/10/19
Equipe: Anne, Christiane e Karen
Hospedagem: Flaunt.nu
Design: Uni Design

com

@DylanSprouse no Twitter
Dylan Sprouse no Instagram
DISCLAIMER

O Dylan Sprouse Brasil é um fã site não-oficial, sem fins lucrativos, e não possui qualquer ligação com Dylan Sprouse, sua família ou seus representantes. Todo o conteúdo aqui apresentado, tais como notícias, traduções e gráficos, pertence ao site a não ser que seja informado o contrário. Nós não reivindicamos direito de propriedade sobre nenhuma foto em nossa galeria, as mesmas pertencem aos seus respectivos donos e estão sendo usadas de acordo com a lei americana de Fair Use § 107.

Dylan Sprouse Brasil Todos os direitos reservados